Conheça 9 tendências do design gráfico para 2019

tendências do design gráfico para 2019

O mercado criativo já mudou sem que nos déssemos conta de movimentos que foram destaques no ano anterior e, neste, já não despontam com tanta evidência. Você perceberá que as tendências do design gráfico para 2019 prometem algumas transformações, incluindo o retorno de elementos que já fizeram a cabeça dos designers e usuários em outros tempos.

Sabemos que a tendência não impõe uma regra rígida, mas é sempre bom ficar atualizado e dar uma conferida nas novidades, a fim de adotar o que melhor se adapta aos seus projetos.

Com o tempo, a sociedade altera os costumes, e isso reflete na forma de se comunicar. Em 2019, estas 9 renovações prometem tirar o design gráfico da zona de conforto criada pelo conceito flat durante seu longo reinado. Vamos conferir?

9 tendências do design gráfico para 2019

1. Paletas gradientes

Há alguns anos, o mundo do design gráfico seria inconcebível sem um bom gradiente para dar aquele acabamento nas peças. Ele reinou absoluto e estava em todas, inclusive nos logotipos. Perdeu sua força e chegou a ser visto como algo ultrapassado. Mas eis que o dégradé retornou com mais classe para dar vida ao flat design.

A ideia funcionou e o gradiente pode ser notado nos logotipos de marcas de peso como o Instagram, o Stripe e outros líderes de mercado que já apostaram suas fichas nessa velha novidade. Esse movimento nos faz acreditar que em 2019 teremos muitas gradações de cores em papéis de parede, ilustrações e em outras aplicações.

2. Layouts assimétricos

A previsibilidade do flat também cede espaço ao afastamento dos designs rígidos pautados em grades milimétricas, muito valorizados durante os últimos anos. Como tudo o que permanece por um longo período cai no marasmo, chegou a hora de criar um pouco de assimetria para mexer com a curiosidade do público.

Os layouts irregulares apresentam uma ampla possibilidade de brincar com elementos mais dinâmicos e personalizados, despertando a atenção de quem olha. Fornecem energia e movimentos cinéticos que instigam o usuário ao interesse pela informação que procura.

No entanto, como tudo o que carrega em si um caráter de liberdade e aparente desprendimento, na hora de projetar, é preciso saber equilibrar a distribuição dos itens de maneira desigual, porém, harmônica, para não se perder e acabar entregando um trabalho desconexo.

3. Ilustrações customizadas

As fotografias impessoais — muitas são artificiais e engessadas — já saturaram a vista das pessoas. Quem puder produzir ou investir em ilustrações customizadas e exclusivas estará um ou mais passos à frente para conquistar a audiência. Designers e artistas ilustradores poderão dar asas à imaginação e desenhar pra valer.

4. Logotipo responsivo

Com a adoção dos smartphones como o principal instrumento de comunicação da maioria dos internautas, a responsividade passou a ser inevitável em tudo o que nos cerca.

Com isso, o design responsivo deixa de ser apenas tendência para se tornar uma necessidade nascida desse novo costume, afinal, toda peça de design precisa se adaptar às diversas plataformas e tamanhos de tela disponíveis no mercado.

Os logotipos seguem a onda, e inúmeras marcas já refizeram seus projetos, deixando-os mais enxutos e integrados às inovações tecnológicas. O intuito é facilitar a navegação pelos usuários.

5. Tipografia extravagante

A simplicidade das fontes sem serifa também abriu caminho para a extravagância da tipografia artística, serifada e decorativa, que devem entrar com força como tendências do design gráfico para 2019. Já presenciamos um ensaio disso com o lettering — letras desenhadas com um propósito específico — muitas vezes, projetadas à mão. Na tipografia, as formas são pré-fabricadas, mas, com a novidade em curso, tendem a ser mais artesanais.

As fontes serifadas haviam saído de cena para colaborar com a responsividade dos dispositivos eletrônicos. Agora, com o aperfeiçoamento da qualidade dos monitores de tablets e celulares, elas estão de volta juntamente com o estilo vintage, que está sempre em alta.

Aliás, esse conceito tem relação direta com a tipografia artística e as ilustrações personalizadas, que conferem um ar de sofisticação e luxo, muito explorado por marcas que procuram se diferenciar na indústria cosmética, têxtil e de alimentos.

6. Fotos realistas

Fotografias mais autênticas, que conseguem comunicar a cena com verdade e sensibilidade estão chamando mais a atenção do público. Quanto mais naturais e despretensiosas, melhor.

Muitas empresas estão começando a produzir seu próprio material fotográfico para mostrar quem são as pessoas que participam do trabalho desenvolvido pela companhia. Isso é feito tanto com a colaboração dos funcionários quanto dos clientes.

Alguns fotógrafos já se anteciparam nessa vertente e não usam mais tantos filtros e tratamentos, a fim de dar vazão ao mundo real. O resultado agrada muito e produz maior engajamento. A audiência acaba se reconhecendo na trajetória de um amigo ou conhecido que ilustra a imagem e conta uma história com emoções genuínas.

7. Profundidade e relevo

As sombras haviam desaparecido dos layouts para ceder ao minimalismo extremo do flat design, que funcionou muito bem por muito tempo. Mas, aos poucos, o sombreamento foi retornando e agora serve como estratégia para dar relevo e profundidade aos elementos que andavam meio chapados, tanto no meio digital quanto nos layouts impressos.

Dessa forma, é possível compor uma hierarquia visual entre os elementos gráficos, tornando a imagem mais palpável. A ideia foi bem recebida e se espalhou entre os designers, que passaram a usá-la amplamente. Hoje, as sombras são mais leves e conferem uma profundidade sem a dureza do sombreamento usado na época anterior ao estilo flat.

8. Bicromia

O duotone era tradicionalmente utilizado como uma técnica de semitom — halftoning — em que dois elementos são impressos em tons distintos, criando uma impressão de duas cores. Hoje, já é possível usar o recurso com três e até quatro tons. Isso só é possível graças aos softwares atuais de edição de imagem, que facilitam ainda mais a manipulação dos elementos.

O conceito foi adotado por grandes marcas mundiais como a Spotify, que marcou o retorno da bicromia em suas campanhas publicitárias. Os designers não demoraram para abraçar a tendência em seus projetos, já que ela se alinha perfeitamente com o requintado design semiflat. Seu efeito vibrante com inúmeras possibilidades chegou para ficar e deixar tudo mais vivo!

9. Pantone

Com a sua importância indiscutível para o design gráfico, a Pantone Color Institute também elegeu a sua tendência anunciando as apostas para este ano.  A paleta também é repleta de cores muito vivas! Um laranja avermelhado Fiesta foi indicado juntamente com o Turmeric (mais um laranja vibrante), além do Aspen Gold, um amarelo ensolarado.

O rosa entrou na lista com um tom expressivo chamado Pink Peacock. A aposta também destacou um azul royal brilhante, apelidado de Princess Blue. Outros tons mais neutros e pastéis como marrom, coral e verde também foram incluídos. Na KWG Gráfica Online é possível imprimir o Pantone que desejar, basta solicitar um orçamento personalizado.

Parece que as tendências do design gráfico para 2019 não estão economizando na exuberância. Tudo aponta para explosões dos sentidos com cores, formas, profundidade e imagens realistas e cruas. Isso tudo traduz uma ideia de autenticidade e liberdade que todos nós precisamos e queremos.

E você, já está a todo o vapor com as tendências para 2019? Elas já deram o ar da graça em diversos projetos interessantes. Aproveite para conhecer mais sobre a incrível trajetória da Pantone!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This