Como montar uma gráfica: confira as melhores dicas

como montar uma gráfica

Criar um negócio novo, do zero, exige alguns conhecimentos básicos, especialmente sobre o nicho escolhido. Por isso, antes de dar o primeiro passo para ingressar no mercado de impressões e acabamentos gráficos, é essencial entender como montar uma gráfica.

A operação desse tipo de negócio envolve processos industriais e, também, a venda de produtos e a prestação de serviços diretamente ao público. Por isso, pode ser um pouco mais complicado do que outros tipos de negócio. Nesse contexto, compreender a complexidade envolvida, mesmo que ainda não tenha o domínio de tudo, é essencial para encontrar o momento certo de investir em uma gráfica.

Pensando nisso, elaboramos este post que explicará tudo o que é necessário para que você saiba como montar uma gráfica. Aqui iremos abranger desde o planejamento estratégico do negócio até a entrega do produto/serviço ao cliente. Então, continue lendo e descubra como ter sucesso nesse empreendimento. Confira!

8 dicas de como montar uma gráfica

1. Faça um planejamento financeiro

Por mais que se possa terceirizar os serviços de impressão para indústrias gráficas maiores, dispensando a compra de equipamentos, para montar uma gráfica será necessário fazer um investimento inicial.

Por isso, é importante saber exatamente com quanto você poderá contar inicialmente e, consequentemente, até onde poderá ir em um primeiro momento. Então, o primeiro passo é saber se o valor que você tem disponível é compatível com o investimento necessário.

2. Avalie as características do mercado

Ainda que a internet tenha dominado o mundo e os negócios online tenham crescido enormemente, os materiais gráficos continuam tendo o seu espaço no mercado.

Existem vários nichos que podem ser explorados, como a produção de embalagens, materiais publicitários e, até mesmo, o mercado editorial. Por isso, entender qual deles poderá ser mais interessante para o seu negócio é extremamente importante, lembrando que quanto mais especializado você for, maior aprofundamento terá no nicho.

3. Entenda as necessidades do seu público

Como em qualquer negócio que se inicia, o mais importante é entender o que o público precisa e satisfazer essa necessidade. Então, uma vez definida a sua área de atuação dentro do mercado gráfico, estude o seu público e crie uma linha de produtos e serviços que sejam capazes de atender às expectativas dele.

4. Crie um plano de negócio

O plano de negócio serve como um mapa que direcionará todos os seus passos, não só a montagem, mas também a operação da sua gráfica. Nele são definidos detalhes importantes como a proposta de valor entregue aos seus consumidores, as estruturas de custos e de receitas, os canais de distribuição, de comunicação com o público, além de parcerias e fornecedores com os quais você poderá contar.

5. Encontre um local estratégico para montar a gráfica

Mesmo que você opte por não ter um parque gráfico e contar com a parceira de fornecedores especializados no atendimento às gráficas que lidam diretamente com o público, você precisará de um ponto de atendimento e entrega de materiais para o cliente.

É importante, então, que se escolha um local acessível para o público que se deseja atingir e que ofereça o espaço necessário para que a sua operação aconteça sem atropelos, pensando, inclusive, na necessidade de armazenar um grande volume de materiais para entrega.

6. Saiba quais são os equipamentos adequados

A montagem de um parque gráfico envolve a aquisição de diversos tipos de equipamentos para impressão e acabamentos. E claro, isso requer um investimento alto para que seja possível produzir internamente.

Mesmo que você opte por terceirizar o serviço para uma gráfica maior, é necessário que você saiba com quais equipamentos ela precisará contar. Então, confira na lista a seguir, quais são os principais deles:

  • impressoras offset e tipográfica;

  • gravador de chapas;

  • refiladoras para papel;

  • guilhotinas automáticas;

  • dobradeira;

  • serrilhadeira;

  • picotadeira;

  • encadernadoras espiral e wire-o;

  • grampeadores elétricos;

  • computadores;

  • scanners;

  • copiadoras;

  • impressoras a laser;

  • tonners;

  • papéis especiais para impressão.

Sem esses equipamentos básicos, não é possível produzir materiais gráficos internamente. Nesse caso, o mais indicado é a busca por parcerias com bons fornecedores para produções mais específicas. O que não impede de ter ao menos um computador e uma impressora a laser para impressões rápidas e cópias.

7. Invista em um bom plano de marketing

É possível vender materiais gráficos tanto pela internet quanto em pontos de venda físicos. Em ambos os casos é necessário que o público saiba que a sua gráfica existe e o que ela tem a oferecer como diferencial. É a partir de um plano de marketing estruturado que isso se tornará possível.

Por isso, é preciso pensar na imagem que se deseja levar ao público e criar uma marca que seja capaz de transmiti-la. Ainda, é necessário definir os canais de relacionamento com o cliente e os meios de divulgação online e offline, além de criar promoções e ações que projetem a sua gráfica no mercado.

Mesmo que o seu foco seja exclusivamente o público local, é importante pensar em uma estratégia e divulgação online que inclua, por exemplo, recursos de geolocalização, que atualmente são fundamentais para a captação de clientes mesmo em negócios locais.

8. Tenha bons fornecedores

A aquisição dos equipamentos e suprimentos para a montagem de um parque gráfico com todos os recursos necessários para uma produção de boa qualidade requer um investimento bem alto. Muitas vezes este investimento é inviável para quem está ingressando agora no mercado.

Porém, isso não precisa ser um empecilho para o negócio, já que existem indústrias gráficas especializadas em atender gráficas menores. Como é o caso da Revenda KWG, que já tem seus 17 anos de experiência e conta com um parque gráfico com equipamentos de primeira linha. Assim, ela é capaz de ajudar quem está começando nesse mercado a atuar como um revendedor gráfico e entregar materiais da mais alta qualidade.

Com a leitura deste conteúdo você descobriu como montar uma gráfica desde os primeiros passos. Vimos desde a análise do mercado, até a aquisição dos equipamentos e suprimentos para que seja possível produzir e entregar o produto proposto com a melhor qualidade, contando com a parceria de um bom fornecedor.

E agora que já sabe como montar uma gráfica, aprenda a pitch para fazer apresentações de impacto no seu projeto!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This