Como criar ícones para usar nas comunicações gráficas

como criar ícones

Você sabe como criar ícones com mais eficácia? Esses símbolos são utilizados em toda espécie de comunicação gráfica e exigem bastante atenção sobre alguns princípios. Para cumprirem sua função, sejam para o meio digital, em sites ou blogs, sejam destinados a materiais impressos, questões como estilo e público-alvo são cruciais.

Para entender melhor esse processo de criação é preciso estabelecer um ponto inicial. Assim, você estará apto a desenvolver os seus próprios ícones, utilizando softwares adequados. A ideia é que você possa inseri-los adequadamente em seu projeto. Para isso, basta continuar conosco e ver nossas dicas até o final.

Veja como criar ícones com toda a eficiência

Tenha boas referências

A primeira etapa é obter uma apresentação detalhada da demanda de seu cliente. Para isso, obtenha a melhor versão gráfica para cada função dos ícones, pesquise imagens e grafismos relacionados e procure manter-se fiel às principais características que definem um objeto ou função em sites e aplicativos.

Estude o público-alvo

Leve em consideração quem é o público específico do website, aplicativo ou outro meio em que eles serão inseridos. Qual a idade dele? Do que ele gosta? Com quais objetos do dia a dia ele está acostumado? Por fim, faça vários esboços, defina um padrão, traço e uma paleta de cores bem originais para os desenhos.

Comece a dar formas mais definidas ao ícone

Nesse momento, você decidirá os estilos gráficos dos ícones. Serão “chapados”, simples? Ou mais detalhados, realistas? Eles também podem ser em 3D, mas devem ser facilmente reconhecidos por seu público-alvo. Portanto, busque o equilíbrio. Se eles forem rebuscados demais, poderão distrair o olhar do usuário.

Para criá-los, você pode usar ferramentas como o Adobe Illustrator. Sobre o tamanho deles, cuidado quando for redimensioná-lo. Lembre-se de que uma imagem com 600 pixels parecerá um borrão quando em 20 pixels. Então, use sim um padrão ou base como ponto de partida. Os mais comuns são: 16 x 16, 32 x 32, 48 x 48, 64 x 64 e 128 x 128. Porém, cada ícone ceve ter um design específico trabalhado. 

Resista à tentação de elaborar ícones grandes. Alguns sistemas operacionais utilizam escalas maiores, como 500 por 500 pixels. Isso é extremamente excessivo. Embora o realismo possa tornar as ilustrações mais atraentes, aposte na simplicidade e efetividade. Deixe-o sempre facilmente reconhecível, combinado? Para configurá-los, use:

  • Number of Artboards (Número de Áreas de Trabalho): 20;

  • Spacing (Espaçamento): 20 px;

  • Width (Largura): 64 px;

  • Height (Altura): 64 px;

  • Units (Unidades): Pixels;

  • Color Mode (Modo de cor): RGB;

  • Raster Effects (Efeitos de Rasteirização): Screen (72ppi);

  • Preview Mode (Modo de Visualização): Default (Padrão).

É crucial que o aspecto dos ícones siga referências visuais com coerência e uniformidade. Se a luz vem de um sentido, utilize o mesmo padrão em todos eles. Caso contrário, perde-se a ideia de “família” entre as ilustrações. Lembre-se também das sombras que você aplicou, pois devem seguir o mesmo parâmetro, sempre.

Coloque-os à prova, testando-os na interface

Essa é a etapa em que os ícones serão submetidos a testes em sua própria interface. Depois de realizados, são obtidos feedbacks diversos e, dependendo dos resultados, eles podem ter que voltar para a etapa do papel ou a de definição do estilo. Também são feitos análises com pessoas que representam seu público-alvo.

Por fim, estando os ícones aprovados, eles serão programados e exportados em seus formatos finais. Quase sempre é possível aperfeiçoar ainda mais os visuais deles. Porém, atingido certo ponto de qualidade, o processo chega ao seu fim.

Como vimos, seguindo nosso passo a passo você saberá como criar ícones bem resolvidos esteticamente e eficazes. É primordial definir seus objetivos e representações, assim como refinar seu aspecto o máximo possível para que essa meta seja cumprida.

Então, curtiu conhecer mais sobre o processo de criação dos ícones na comunicação gráfica? Esperamos que sim! Não deixe de cadastrar-se na nossa newsletter para receber sempre outras dicas como estas!

identidade visualPowered by Rock Convert

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This