Gramatura de papel: tudo o que você precisa saber

gramatura de papel

Você já se perguntou o que significa a gramatura de papel? No dia a dia, a maioria das pessoas usam esse termo, mas desconhecem o que realmente ele quer dizer.

Normalmente, os profissionais lidam com as nomenclaturas movidos pelo hábito de usar determinados papéis para finalidades já estabelecidas por quem entende do assunto.

O que é óbvio para alguns, permanece um mistério para muitos. Pensando em uma maneira de desvendar essa fórmula, apresentamos para você tudo o que é preciso saber para escolher livremente qual gramatura é mais apropriada para o seu impresso. Acompanhe o post!

Como identificar a gramatura do papel?

Antes de tudo, gramatura nada mais é do que a medida para a densidade e o peso do papel, sempre representada da seguinte forma: 100 g/m², sendo que g/m² expressa: gramas por metro quadrado, ou seja, o papel possui 100 gramas por metro quadrado de folha. Assim, quanto maior a numeração, mais pesado e espesso será o papel.

É essa medida que permite a identificação da qualidade e a densidade do papel usado, por isso é tão importante levar em conta os diversos aspectos do material escolhido, incluindo a gramatura.

Para identificar a gramatura do papel é necessário a utilização de uma balança de precisão. Com este equipamento é possível identificar o gramatura do papel por metro quadrado. É desta maneira que classificamos as gramaturas, como por exemplo, 300g/m², 250g/m² e etc.

A escolha correta da gramatura e o tipo de papel influencia totalmente no resultado da impressão. Conhecer as características do material ideal para cada tipo de peça gráfica é o segredo para evitar problemas na hora de produzir o seu impresso.

Para garantir um trabalho de excelência, é necessário conhecer as diversas gramaturas e seus principais usos.

Quais são os principais usos para cada tipo de gramatura?

Começando pelas gramaturas mais baixas, até as mais altas, entenda quais são as melhores para os seus impressos:

  • 35g a 55g: são os papéis mais finos, usados principalmente para jornais ou bobinas de máquina de cartão. Papéis com gramaturas menores que essas são mais raros;
  • 50g a 63g: blocos para orçamento e para notas fiscais são confeccionados com esse tipo de papel;
  • 75g a 80g: papéis timbrados, panfletos, receituários em offset ou couché, são frequentemente impressos com essa gramatura;
  • 90g a 115g: a mais comum de todas, são muito usadas em escritórios e ambientes domésticos. São as populares folhas A4 utilizadas para impressão de cartazes, folhetos e panfletos de baixo custo;
  • 120g a 150g: o papel offset de 120g é de uso muito restrito — matérias para escrita. Já a gramatura 150g é comum para impressão de capas de revista, folhetos, flyers, folders e panfletos de resistência maior;
  • 180g: as famosas cartolinas e cartões caseiros de qualidade inferior, bem como sacolas de papel, que são os papéis mais típicos dessa gramatura. Normalmente, é a espessura máxima suportada pelas impressoras caseiras;
  • 210g a 300g: essa faixa é usada para cartões de visita, convites, cartões postais, cartões de aniversário, capas de livros, calendários e outros impressos que exigem mais resistência e durabilidade;
  • acima de 300g: materiais produzidos com essa gramatura são mais raros. São papéis usados para cartonagem ou serviços especiais, além de trabalhos com desenho e aquarela, como os papéis da marca Canson, muito conhecidos no Brasil.

Qual a diferença entre gramatura e espessura?

Um dado importante, que precisa ser esclarecido, é a diferença entre gramatura e espessura. As duas coisas não estão diretamente relacionadas.

A gramatura equivale à massa, representada em metros quadrados, e a massa é composta por celulose + aditivos + cargas.

Já a espessura é definida pela distância entre as faces inferior e superior do papel, e é expressa em micras. Existem variações de espessura entre as diferentes marcas de papel, que são determinadas pela compactação das fibras das folhas. Isso provoca a sensação de que papéis de marcas distintas aparentam gramaturas diferentes.

Como a gramatura afeta a qualidade dos impressos?

Conhecer a gramatura dos papéis fará toda a diferença na qualidade do seu trabalho. Com esse conhecimento em mãos, o profissional saberá qual é o melhor material para cada tipo de impresso, e assim, poderá transformar um projeto digital em projeto físico com muito mais segurança e melhor custo-benefício.

É preciso ter a exata noção de que a gramatura interfere diretamente no resultado final da peça gráfica. Além disso, ela muda completamente a percepção que as pessoas terão ao verem o acabamento.

Isso acontece porque cada peça tem uma função específica, por exemplo: o cartão de visita tem a textura, o peso e uma necessidade maior de ser durável, por isso, a gramatura precisa ser mais alta.

Já o conteúdo de uma revista ou de um jornal não necessita de uma espessura grossa. Isso nem sequer seria coerente, a não ser em casos muito específicos. Tudo depende do objetivo e da função de cada material impresso.

Qual o objetivo do material?

E por falar em objetivo do material, é importante levar em conta esse fator. Se considerarmos a finalidade de um folder com mais de uma dobra, por exemplo, a gramatura ideal é a mais baixa, em torno de 150g, por ser mais macia e maleável, o que facilita a confecção das dobras e o manuseio.

O cartão de visita normalmente é impresso em papéis com gramaturas mais altas, mas, se o objetivo é fazer uma dobra ou outra intervenção diferente, talvez uma gramatura baixa seja o mais indicado.

Em impressões com frente e verso, é mais adequado usar gramaturas intermediárias para altas, com o intuito de garantir que nenhum dos lados interfira no outro, atrapalhando a leitura, além de prejudicar a estética do trabalho.

Os exemplos acima demostram claramente a importância do conhecimento sobre gramaturas e tipos de papéis para cada projeto gráfico. O tempo que se gasta procurando saber sobre esses detalhes se converte em economia de dinheiro e prevenção de erros.

Quais são as gramaturas mais comuns?

Como já dissemos, ocorrem diferenças nas espessuras de papéis entre as variadas marcas disponíveis no mercado. No entanto, geralmente, quanto maior o número da gramatura, mais espesso será o papel e quanto menor o número, mais fino e macio ele será.

Assim, daquela lista que apresentamos acima, as mais comuns e utilizadas no dia a dia são as seguintes: 90g, 115g, 120g, 150g, 170g e 250g. 

Saber qual a gramatura do papel é ideal para cada tipo de trabalho é só uma questão de paciência e treino. Com o tempo, o profissional acaba desenvolvendo algumas particularidades em sua preferências e as indicações habituais se tornam apenas parâmetros, já que cada projeto é único, assim como as ideias são originais.

E você, sempre fica indeciso toda vez que precisa escolher um papel para o seu impresso? Não fique com essa dúvida, entre em contato com a gente e solucione o seu problema!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This