Afinal, será que ser freela é ou não uma boa opção?

freela

Você sabe como é a vida de ser freela? Muitos profissionais optam por essa modalidade quando o assunto é seguir carreira. Afinal, a grande liberdade que o trabalho como autônomo oferece é bastante atraente. Nada como ser dono do próprio nariz, não é mesmo?

Mas será que ser freela é mesmo uma boa opção para todos os profissionais? É preciso analisar os prós e os contras: pode ser que você não tenha o perfil adequado para esse tipo de atuação no mercado.

Como saber? Confira neste post as vantagens e desvantagens de atuar como freelancer e o que fazer para ter sucesso como autônomo!

Quais as vantagens de ser freela?

Vamos começar com os pontos positivos! Todo mundo precisa de um impulso para considerar se tal atividade é viável ou não. Então vamos conhecer algumas das vantagens.

Os horários são flexíveis

Quem tem dificuldades em se adaptar à rotina de horários fixos pode considerar o trabalho autônomo como uma opção maravilhosa. Isso porque você não depende de um chefe ou de padrões corporativos. Logo, não precisa obedecer às regras de uma empresa, seja para chegar pontualmente no trabalho ou sair apenas no horário combinado.

Você pode determinar, por exemplo, que a quarta-feira é o seu domingo e praticar atividades para desestressar no meio da semana. Quem organiza o seu horário é você, e ninguém tem nada a ver com isso, certo?

O cuidado está somente em alinhar um horário bem-organizado de acordo com as suas necessidades e demandas de trabalho, para que a semana não se transforme em uma grande — e enganosa — folga.

Aprendizagem constante

Quem é freela pode se deparar com os mais diferentes tipos de trabalhos a realizar, dentro das suas especialidades ou não. É uma ótima chance de experimentar atividades diferentes e, até mesmo, desenvolver novas habilidades.

Ou seja, a aprendizagem será constante. Isso é muito importante para qualquer profissional, incluindo o designer gráfico, os fotógrafos, os redatores e muitos outros.

Possibilidade de trabalhar em casa

Nos dias de hoje, em que o tempo é corrido e o trânsito das cidades não ajuda no deslocamento, trabalhar em casa, sem dúvidas, é uma enorme vantagem.

Outro ponto positivo é a privacidade. Você pode reservar um cantinho só seu, sem que ninguém cruze o seu caminho ou invada o seu espaço enquanto você trabalha. Isso pode ser um ganho incrível para sua produtividade.

Economizando no tempo de deslocamento e controlando seus horários, você pode realizar até mesmo refeições mais saudáveis, sem tanta correria, ganhando mais qualidade de vida.

Aumento de networking

Outra vantagem é que, trabalhando como freelancer, sua rede de contatos aumentará bastante. Sua relação com os clientes (e até mesmo com as empresas) será mais próxima, o que é excelente para o networking.

Você pode ser diretamente indicado para outros trabalhos e ter abertura para dispensar aqueles serviços que não tem nada a ver com você.

Quais as desvantagens de ser freela?

Nem tudo são flores, não é verdade? Em todas as situações, precisamos analisar os dois lados. Portanto, separamos também três das principais desvantagens em ser freelancer para ajuda você a decidir se essa é ou não uma boa opção para você.

Instabilidade financeira

Quando trabalhamos com um salário fixo, ter estabilidade financeira é algo mais palpável. Fica mais fácil fazer planejamentos a longo prazo para uma viagem ou assumir grandes projetos de vida, como a aquisição de um carro novo ou um apartamento. Com o trabalho de freelancer, as finanças podem ficar um pouco mais volúveis.

Isso porque, em alguns meses, pode ser que apareçam muitos projetos e entre uma boa grana; no mês seguinte, é possível que a realidade seja totalmente diferente, e, talvez, seja preciso encarar um período de férias forçadas, por exemplo. E o que é pior: sem dinheiro entrando em caixa!

Se você gosta de planejar suas finanças com precisão, talvez o mundo dos freelancers não seja para você.

Falta de organização

Para quem quer as coisas muito bem-planejadas e organizadas, a vida de freela pode não ser uma boa opção. Nem sempre é possível planejar os projetos do mês, por exemplo. Assim como a questão financeira é instável, seus horários de trabalho também serão.

Pode ser que um job apareça de última hora e você esteja precisando de grana, mesmo com pouco prazo para cumpri-lo. Será preciso flexibilidade na sua agenda, que pode se tornar bastante caótica por conta disso. Em favor dos trabalhos, talvez você tenha que virar a noite, por exemplo, trabalhar nos finais de semana e/ou cancelar compromissos pessoais.

Para muitas pessoas, essa falta de organização é muito estressante e não vale a pena. Por isso, coloque esses fatores na balança e pense bem a respeito.

Problemas com pagamento

Quem lida diretamente com o atendimento ao cliente é você. Portanto, o pagamento dos trabalhos quase que, inevitavelmente, passará por suas mãos. Nenhum intermediário realizará a função de cobrança, diferentemente do profissional que trabalha em uma agência e, normalmente, recebe seu salário na conta todo mês.

Há um lado bom e ruim nesse cenário, mas, muitas vezes, é complicado. Tanto pela falta de habilidade do designer/redator em negociar os pagamentos, como pela falta de compromisso de alguns clientes, que podem, sim, atrasá-lo ou simplesmente não os realizar!

É um risco que se corre, por isso, vale a pena conhecer bem quem está disposto a contratar os seus serviços e evitar os chamados calotes. Uma dica de ouro é sempre se pautar em contratos e compromissos por escrito.

Como ser um freelancer?

Quem trabalha como freela precisa ser um profissional comprometido. Afinal, o sucesso depende muito de você e como você atua na sua área. Para que tenha êxito, é fundamental cumprir os prazos e metas do projeto, mantendo uma conduta responsável diante de suas atividades.

Com isso em mente, fica mais fácil ser reconhecido como freelancer no mercado de trabalho. Ciente dos seus objetivos pessoais, você deve começar a divulgação dos seus serviços para que o público conheça o seu trabalho e saiba que você pode solucionar os problemas dele por meio de sua atividade. A internet será uma de suas principais portas de entrada para novos clientes.

Como ser freela pode ajudar enquanto você ainda está estudando?

Quem está em formação profissional pode começar a atuar como freelancer em paralelo às atividades da faculdade ou mesmo do estágio. Ser freela, nesse caso, é muito positivo! Isso porque você é novo na área e precisa mostrar o seu trabalho, certo? As pessoas começarão a conhecer você, antes mesmo que se torne um profissional formado.

Você adquire experiência e ainda coloca em prática toda a teoria estudada na sua formação. Um freela pode até mesmo ser o seu projeto de conclusão de curso — já pensou, que maravilha? Sem falar que é uma boa oportunidade de ganhar uma graninha enquanto ainda é estudante.

E então? O que você acha de ser freela? Será que essa responsa está de acordo com o seu perfil?

Se você gostou das dicas deste post, aproveite e siga a Gráfica e Editora KWG em nossas redes sociais: Facebook, Twitter e YouTube.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This