Tipos de dobras: conheça os 8 principais e aprenda a usá-los

tipos de dobras

Se existe um desafio para os profissionais gráficos, especialmente na primeira vez, é a escolha certa dos tipos de dobras a utilizar em suas peças impressas. Para que você forneça o material adequado à proposta do cliente, é fundamental conhecer e entender suas variadas formas de utilizações.

Eles são muitos, e uma mesma dobra pode ser conhecida por diferentes nomes. Pensando nessa confusão inicial e visando ajudar você na montagem e no adequado orçamento dos seus materiais gráficos, preparamos esse post com especificações sobre os tipos de dobras e onde costumam ser mais usados.

Conheça agora os 8 principais tipos de dobras e aprenda a usá-los!

Como escolher o tipo de dobra?

A escolha da dobra não deve ser aleatória. Como todo projeto, essa etapa é parte fundamental do planejamento. Antes de escolher que tipo de dobra você utilizará, é importante pensar e responder algumas questões.

Por exemplo: onde o material será utilizado? Do que se trata a empresa contratante? Que conteúdo está sendo divulgado? Qual público será atingido com esse material?

As respostas para essas perguntas podem orientá-lo melhor no processo de escolha, diante da grande variedade que mostraremos a seguir.

Quais são os 8 principais tipos de dobras?

As dobras são fundamentais nos materiais gráficos. Atendem a diferentes objetivos e transformam uma peça simples em algo diferenciado, até mesmo com efeitos criativos.

Para acabar com suas dúvidas de uma vez, continue a leitura e fique por dentro dos tipos de dobras mais utilizados no mercado.

1. Dobra simples

Esse é o tipo mais comumente utilizado. Também conhecida como dobra central ou dobra ao meio, se dá exatamente no centro de um material, resultando em duas partes perfeitamente iguais, lado a lado.

Pode ser aplicada tanto em tamanhos menores como nos maiores. O interessante é que seja conveniente à leitura do seu conteúdo. É comum encontrá-la em materiais como convites e cardápios, por exemplo.

2. Dobra tipo sanfona

Também chamada de zigue-zague, permite a acomodação de um maior número de informações em um mesmo espaço de papel, que é dobrado paralelamente, duas ou mais vezes.

Enquanto a dobra simples apresenta uma face interna e a externa (ou 4 páginas), a sanfona aumenta essas possibilidades na frente e no verso do material. E, consequentemente, o número de páginas. É ideal para programações de espetáculos e eventos, informativos de promoções e folders destinados ao público em geral.

3. Dobra tipo carteira

É a que abre duas vezes para o lado externo. Na primeira abertura, traz acesso ao conteúdo. A segunda parte abre como um pedaço do verso. Dessa forma, as informações são apresentadas de maneira gradual para o leitor. Normalmente é feita em uma tira única e contínua de papel, mas também pode ser feita a partir de um conjunto de folhas individuais.

Esse tipo de dobra pode ser aproveitado para a programação de eventos internos. É ideal para a divulgação de novos produtos ou serviços, surpreendendo o leitor com a apresentação do conteúdo progressivamente.

4. Dobra em cruz

Se existir a necessidade de dobrar um folder na horizontal e ainda na vertical, a dobra em cruz é a mais indicada. O nome se dá, portanto, quando o papel é completamente aberto e o desenho da sua dobradura é o de uma cruz, com o centro no meio do papel. Pode ser empregada em materiais como cartilhas, folhetos ou panfletos com maior número de informações.

5. Dobra em cruz sanfona

A união de dois tipos anteriormente citados resulta na chamada dobra em cruz sanfona. É feita sobre uma dobra paralela, de maneira assimétrica, em forma de zigue-zague. Também é conhecida como dobra francesa.

É bastante utilizada na produção de cadernos de quatro páginas (não refilados) na área editorial. Para dar maior volume às páginas, também é possível encadernar o material.

6. Dobra em cruz carteira

Se a ideia é ter um impresso com várias faces, a dobra em cruz carteira é a sua escolha. Para conteúdos mais extensos, essa combinação também é indicada. É outro exemplo muito empregado para a criação de cadernos na área editorial, aproveitando ao máximo uma folha de papel.

7. Dobra tipo janela

Apresenta uma folha com quatro faces, de forma que as duas abas sejam dobradas para dentro, juntando-se à lombada, mas sem que se sobreponham. Duas partes simétricas abrem, a fim de mostrar um conteúdo em um espaço maior.

É utilizada em revistas, quando a ideia é ter mais espaço para a apresentação de uma foto grande. Também é usada em apresentações formais e para dar ênfase em produtos e serviços.

8. Dobra enrolada

Nesse tipo de dobra, cada face é menor, progressivamente, sendo dobrada por dentro da que vem a seguir. Também é chamada de dobra irregular, por não centralizar as dobras, como nos exemplos anteriores. Fornece um design original ao material e é interessante de ser utilizada em folhetos.

Qual a forma certa de sinalizar as dobras e enviar para impressão?

A dobra é o acabamento que muda o formato do papel impresso. Com uma dobra simples, por exemplo, uma folha em tamanho A3 no formato fechado se transforma em uma folha A4. Por essa razão, é fundamental sinalizar a existência dela ao enviar o material para impressão. A dobra deve ser indicada no material por meio de traços pontilhados.

Nunca se esqueça da margem de segurança

Todo material que apresente dobras ou os demais acabamentos deve ser sinalizado, com atenção às margens de segurança para todo o conteúdo (textos, ilustrações, etc.). Isso porque, quando a máquina faz uma dobra, pode apresentar variação em torno de 2 a 3 milímetros lateralmente.

Se não existir uma margem de segurança, um elemento importante, como o texto, poderá ser cortado. Tenha pelo menos 5 milímetros de margem de segurança. E, de preferência, realize testes prévios com dobras à mão, para garantir que o resultado saia correto.

Considere o vinco para papéis mais grossos

O processo que reforça a dobra do material é chamado de vinco. É indicado para papéis com a gramatura mais alta, por trazerem maior resistência. Ou seja, pode ser que esses papéis “quebrem” quando a dobra for feita. Pense, por exemplo, no papelão ao ser dobrado.

Escolher a dobra certa requer tempo e atenção, para que o resultado apresente a melhor qualidade. Com todas essas informações sobre tipos de dobras, certamente seu trabalho gráfico ficará mais bem-feito e escolhido adequadamente para seu cliente, não é? Lembrando que todas as dobras que citadas neste artigo, podem ser facilmente produzidas pela Gráfica KWG. Se o seu material possui algum tipo de dobra entre em contato conosco e solicite um orçamento.

Gostou desse post? Então, aproveite e assine nossa newsletter para continuar recebendo outras dicas essenciais como essas!

Você pode gostar...

4 Resultados

  1. Rubens disse:

    Excelente conteúdo! Parabéns! Está muito explicativo 👏👏👏

  2. Edvaldo de Oliveira disse:

    Preciso encadernar 10 folhas de música (papel A4) para piano em 4 folha tipo sanfona. Falo de Goiania Go Aguardo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This