material gráfico

Quais são as etapas de produção de um material gráfico?

Você trabalha na área gráfica e quer aperfeiçoar os seus conhecimentos sobre produção e maximizar o tempo despendido? Deseja atuar remotamente de qualquer lugar e fazer o seu próprio horário? Então, continue lendo este post que vamos te ajudar.

A produção gráfica é o método necessário para que uma ideia, depois de transformada em arquivo digital, seja impressa e se materialize. Assim como qualquer processo produtivo organizado, ela é dividida em etapas, independentemente do método de impressão utilizado.

Desde um simples cartão de visitas até um sofisticado catálogo, todo material gráfico passa pelas etapas da produção antes de se tornar um item físico. Agora você vai conhecer cada uma delas e se tornar ainda mais capacitado para atingir os seus objetivos profissionais. Confira!

Criação do material

A etapa inicial do processo de produção gráfica é a criação do original — ou seja, a arte que será produzida. Até a década de 1980, esse original era chamado de arte-final. Com a chegada da computação gráfica, ele passou a ser o arquivo digital gerado.

A criação de um flyer, por exemplo, normalmente envolve um redator e um designer ou responsável pela arte. Esse profissional é especialista em organizar, harmoniosamente, os textos e imagens criados no espaço determinado.

Após a aprovação, o arquivo digital gerado é fechado e enviado à gráfica para impressão. É fundamental que profissionais capacitados executem essas funções, já que qualquer erro pode comprometer gravemente o resultado final do projeto.

Se você possui alguma dúvida em como enviar o seu arquivo corretamente para impressão, confira o nosso artigo completo sobre Fechamento de Arquivo.

Gráficas modernas

A internet facilitou as relações comerciais entre usuários e fornecedores, favorecendo as pequenas empresas. Há alguns anos, muitas gráficas expandiram as possibilidades para os clientes oferecendo serviços online, ou seja, não é mais necessário que o cliente vá até a gráfica para enviar o arquivo para impressão. Este processo pode ser realizado por meio dos sistemas de e-commerce que as gráficas online disponibilizam.

Desta forma, as gráficas online passaram a oferecer maior praticidade, agilidade, suporte ao cliente, alta qualidade, bons prazos e preços acessíveis. Isso permite que pequenos empreendedores se tornem competitivos. 

1. Pré-impressão

fechamento de arquivo
Como o próprio nome diz, esta é a fase que antecede a impressão do arquivo. Depois que sai das mãos do designer ou do responsável por ele, vai para a pré-impressão. Seu objetivo é verificar se o material atende às condições técnicas exigidas pela gráfica. Aqui devem ser prevenidos todos os problemas que possam surgir na impressão.

Correção de falhas

É nesta etapa que as eventuais falhas devem ser corrigidas. Assim, evita-se surpresas tanto para as pessoas envolvidas na produção quanto para o cliente. É a pré-impressão, portanto, que determina a qualidade final do trabalho, podendo inclusive, reprovar os arquivos que estejam fora do padrão de impressão.

Ela consiste na adequação do arquivo e na preparação dos planos de impressão. Além disso, no caso dos processos de impressão que as requerem, também são geradas as respectivas matrizes.

Cada tipo de impressão tem especificações diferentes, usa materiais distintos e exige procedimentos específicos.

Para evitar que o seu arquivo seja reprovado pelo setor de pré-impressão, atente-se aos seguintes detalhes:

 

CTP

A tecnologia de gravação direta nas chapas, conhecida como CTP (Computer to Plate), dispensa o uso do fotolito e é a mais utilizada pelas gráficas.

No entanto, devido a modernização constante e o impacto das tecnologias, a tendência é que tanto o fotolito quanto o CTP deixem de ser utilizados. Os equipamentos mais modernos permitem enviar um projeto diretamente para a impressora. Esse é o método de impressão que conhecemos como híbrido.

Dessa forma, a própria pré-impressão deve ser gradualmente reduzida. Atualmente, ela ainda inclui a digitalização e a edição de imagens de alta resolução, conforme o tipo e a complexidade do material que será produzido.

2. Impressão

tipos de impressão

Segunda e mais importante etapa da produção de materiais gráficos. É aqui que a arte, antes apenas virtual, materializa-se e ganha formas no material escolhido: papel, plástico ou metal.

Existem impressoras para pequenas e grandes tiragens. Normalmente para pequenas tiragens as gráficas utilizam as impressoras digitais, que proporcionam quase que a mesma qualidade e durabilidade da offset. Agora, quando o assunto são impressões em larga escala, nada substitui as famosas e robustas impressoras offset.

O processo de impressão offset, começa com a produção de uma matriz (forma), gerada a partir de um arquivo digital, no processo chamado CTP (Computer-to-Plate). Aqui, os cuidados com o resultado são essenciais. Se for necessário, ainda é possível fazer alguns ajustes a fim de melhorar a qualidade do produto final.

3. Acabamento

materiais gráficos

Ao criar uma peça com formato diferenciado, todo designer imagina um material gráfico de alta qualidade, com acabamento perfeito, que torne realidade suas melhores ideias. É por isso que os setores responsáveis por esse processo são cada vez mais importantes nas gráficas.

Nesta etapa de acabamento, a peça é finalizada e ganha seu formato final. Pode acontecer na própria gráfica responsável pela impressão ou em um fornecedor especializado no assunto. Isso depende do porte da gráfica e da complexidade do acabamento. Ele pode ser diferenciado e, muitas vezes, totalmente customizado de acordo com o que foi solicitado.

Tipos de finalização

Necessariamente, todo material deve ser cortado no seu formato final. Este é o processo que chamamos de refile. Existem, entretanto, vários outros formatos que são opcionais e podem estar disponíveis. Os principais são: dobra, vinco, corte e vinco, bordas arredondadas, laminação brilhante, laminação fosca e verniz localizado.

Nesta etapa os equipamentos utilizados são os mais variados, tais como: alceadeiras, dobradeiras, guilhotinas, corte e vinco, encadernadora, laminadora, entre outras.

Por fim, depois do processo de acabamento, o material gráfico está pronto para ser entregue ao cliente.

E aí, gostou de conhecer melhor as etapas de produção de um material gráfico? Ficou com alguma dúvida? Deixe seu questionamento ou opinião nos comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This