Design thinking: como aplicar o pensamento visual na sua empresa

Você já se deparou com o termo design thinking várias vezes em suas pesquisas, mas ainda não está claro para você como essa proposta pode colaborar com o seu negócio?

Nesse post você vai entender a importância dessa abordagem.  O design thinking é útil não só para empresas e setores que se enquadram na indústria criativa, mas também para a própria gestão de negócios e de pessoas.

A seguir, vamos desvendar os aspectos práticos do design thinking para que você possa aproveitar essas informações e garantir ainda mais efetividade e competitividade para o seu negócio. Vamos lá?

O que é design thinking?

Ao contrário do que se pode pensar, design thinking não se trata de uma metodologia com uma receita padronizada para ser aplicada em negócios. Na verdade, se trata de uma proposta de inovação para a resolução de problemas.

A princípio, o design thinking era visto principalmente como uma forma criativa e colaborativa de desenvolver, aprimorar ou ajustar produtos e serviços. Entretanto, essa abordagem se mostrou ainda mais versátil. Ela pode ser aplicada não só em empresas de todos os portes, mas na realização de projetos para qualquer área.

Alguns aspectos que compõe o design thinking já vinham sendo discutidos há décadas. Mas, foi por volta de 2009 que David Kelley e Tim Brown se apropriaram do termo e o lançaram de forma realmente eficiente.

É possível delimitar alguns aspectos básicos que são comuns em qualquer projeto feito com essa abordagem.

Seus principais valores são a empatia, a colaboração e a experimentação.

Imagine que uma empresa detecta que seus clientes estão tendo problemas com um aspecto específico de seu aplicativo. A abordagem por meio do design thinking prevê que esse fato se trata não só de um impasse a ser superado, mas de uma oportunidade de inovação.

De acordo com isso, digamos que essa empresa pretende criar uma resolução para esse problema por meio do design thinking. O ideal é que todo o processo seja realizado e protagonizado por profissionais de diversas áreas da empresa.

Seguindo os princípios básicos dessa abordagem, cada profissional poderá contribuir se colocando no lugar dos clientes e apresentando informações relevantes a partir de óticas diferentes. Tudo isso visando um objetivo comum: uma solução criativa.

Veja a seguir alguns passos que essa equipe poderia seguir para alcançar esse objetivo por meio do design thinking:

  1. Imergir no universo das pessoas que compõem o público-alvo do projeto;

  2. Identificar oportunidades de inovação;

  3. Delimitar o problema que o projeto pretende solucionar;

  4. Criar todas as sugestões possíveis para o problema, sem censura e limites;

  5. Prototipar as ideias que melhor solucionam o problema e que são, ao mesmo tempo, tangíveis operacionalmente;

  6. Testar os protótipos das ideias para definir a solução ideal observando na prática.

Por que ele é inovador?

Você pode estar se perguntando o que o design thinking alcança de diferente em relação a métodos mais tradicionais. Para entender isso, você precisa olhá-lo mais de perto. Ele é bem mais amplo do que parece.

Em primeiro lugar, ele ultrapassa os limites das questões visuais. Logo no início do processo o time busca imergir na realidade do público-alvo do projeto. Isso inclui mapear a experiência cultural, a filosofia de vida e a visão de mundo dos indivíduos para os quais o projeto será desenvolvido.

É essa aproximação com o comportamento do cliente que faz com que os profissionais que compõem a equipe sejam capazes de repensar o modo de vida dessas pessoas.

O design thinking prioriza necessidades do indivíduo, e leva em conta a sua busca por valor, sentido e conexão. Não apenas com os produtos e serviços que consomem, mas até mesmo com os diferentes papéis que precisam cumprir ao longo de sua rotina.

É por meio da identificação dos reais impasses que essas pessoas precisam superar que é possível apresentar soluções viáveis e efetivas que vão mudar a experiência de cada um.

O design thinking é capaz de atingir um resultado ideal e, com isso, ainda possui outra vantagem extremamente inovadora. Ele leva em conta a viabilidade operacional e o retorno financeiro, mas o faz por meios diferenciados.

A etapa de prototipação é essencial para testar ideias da maneira mais barata possível. Outro benefício é ter um feedback de como aquilo funcionaria na realidade antecipadamente. A ideia só é produzida de fato após ser validada.

Pense em quantas horas de produção e investimento são poupados e otimizados. Isso sem falar no fato de que o tempo de resposta que uma empresa gastaria para solucionar um problema também reduz drasticamente.

Como aplicá-lo nos setores de uma empresa?

O design thinking, como dissemos, pode ser usado para impulsionar qualquer parte de uma empresa, sejam processos criativos ou administrativos. Se você se voltar, por exemplo, para as necessidades pontuais dos diferentes setores da sua empresa, certamente encontrará diversas oportunidades de inovação.

Entretanto, para que seu time consiga suceder, em primeiro lugar é essencial garantir que a criatividade seja um combustível que faça parte da cultura da sua empresa.

Visto isso, veja algumas dicas de como o design thinking poderia ser aproveitado em diferentes setores:

  • Se um time de vendas está tendo dificuldades em captar e converter clientes, o design thinking pode auxiliar na criação de novas técnicas de persuasão;

  • Se o time de marketing não está conseguindo alcançar ou reter leads por meio de suas campanhas online, o design thinking pode permitir que novas campanhas mais centradas nas necessidades dessas pessoas sejam criadas;

  • Se o seu serviço ou produto não está conseguindo adquirir um diferencial de mercado significativo em relação à concorrência, por meio da imersão no design thinking sua equipe pode conseguir realizar ajustes inovadores, efetivos e essenciais para garantir essa capacidade competitiva.

  • Se você detectar que o modelo organizacional da sua empresa não está contribuindo para que os colaboradores realizem seu trabalho de maneira otimizada, fluída e efetiva, o design thinking pode permitir a criação de novos processos que solucionem possíveis gargalos e acúmulos de tarefas;

Como ele afeta a gestão de um negócio?

Você conferiu algumas aplicações que o design thinking pode proporcionar. Porém, você já parou para avaliar como ele poderia atuar também no contexto geral da sua empresa?

É um fato que, atualmente, os jovens que entram em empresas agora, no futuro serão o sustento delas. A questão é que o modelo tradicional de organização e gestão de empresas não é atrativo para esses novos profissionais, e isso cria uma nova demanda.

Se aplicarmos os princípios básicos do design thinking nesse aspecto, pode concluir que existe uma oportunidade de propor um novo modelo de organização mais centrado nos colaboradores que valoriza a realização pessoal.

Seguindo ainda esta linha de pensamento, certamente seria possível atingir os objetivos de um negócio por meio da criação de uma comunidade saudável, entrosada, conectada e, principalmente, motivada, dentro da corporação.

Se você acredita que sua empresa possa necessitar de um ajuste neste aspecto, aí já se encontra uma outra oportunidade de inovação.

Agora que você conferiu dicas práticas para o seu negócio, faça o download do nosso e-book sobre design thinking para se aprofundar ainda mais nesse assunto e sair na frente no quesito inovação!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This