orçamento gráfico

Como realizar um orçamento gráfico? Veja 10 dicas aqui

Fazer um orçamento gráfico parece uma missão muito complicada para você? Mesmo com todo estudo e preparação profissional, pode acabar sendo uma confusão alinhar todas as informações necessárias em um orçamento gráfico. O medo de errar pode ser tão grande que você acaba se enganando ou tropeçando por desatenção.

Se esse é o seu problema, já pode manter a calma. No post de hoje, traremos um passo a passo para você realizar um orçamento gráfico adequado e evitar erros e problemas nos seus resultados. Com as orientações corretas, você verá que não é nenhum bicho de sete de cabeças realizar um orçamento gráfico. Confira!

1. Forneça as informações básicas mais importantes

Algumas informações básicas, são extremamente necessárias e podem salvar a vida do profissional que recebe ou fornece o orçamento. Começando pelo produto. Além de dizer o título, você deve explicar do que se trata o material. O resultado daquele orçamento se destinará a quê? Por exemplo, se é um catálogo, um folder, uma revista.

Aproveite para informar também a tiragem do material, ou seja, a quantidade de exemplares. Por exemplo, preço para 1.000 exemplares e preço para 3.000 exemplares. Esse número previamente determinado resultará, obviamente, em preços diferentes.

2. Explique o formato e as dimensões

O próximo ponto deve ser o formato e as dimensões do impresso. Se existirem dobras, é importante fornecer o formato aberto e fechado. Por exemplo, as dimensões do formato fechado: 200 x 270 mm (especificando o local da dobra). E as dimensões do formato aberto: 400 x 270 mm. Sempre em milímetros ou de acordo com a folha, como “A3, A4, A5”.

3. Informe os tipos de papel e número de lâminas

Informe também o número de lâminas ou número de páginas, considerando que cada lado do impresso deve ser contado como uma página. O tipo de papel também é extremamente importante, pois existem vários: couché, reciclato, duplex, cartão, supremo, e etc.

Tudo isso influencia no resultado da impressão. Especifique especialmente se os tipos de papel forem diferentes de acordo com as lâminas seguintes.

Outro ponto fundamental é a gramatura do papel, que pode variar bastante e até mesmo não ser adequada a determinadas dobras ou cortes especiais. Além disso, pode diferenciar o preço final.

4. Atente-se para a especificação das cores

O número de cores a ser utilizado também deve ser informado, tanto na frente quanto no verso. A configuração funciona da seguinte forma: se forem usadas quatro cores na frente e apenas uma no verso, especifique 4 x 1 cores. Se a impressão for feita só de um lado, indique 0 para o verso (4 x 0 cores). Confira mais sobre termos gráficos e entenda melhor o significado de 4×0, 4×1 e 4×4 cores.

Também é muito importante ressaltar se o trabalho deverá ser impresso em CMYK ou Pantone.

5. Forneça todos os detalhes de acabamento

Não menos importante, devem ser indicados os detalhes de acabamento. Para ter um produto diferenciado, esses aspectos fazem uma grande diferença. O produto requer um corte especial ou simples? Existe aplicação de verniz? Os tipos de acabamento são muitos.

Caso existam dobras, especifique quais os tipos (simples, sanfona, janela, etc.) e indique também se existe a necessidade de vinco (é ele que reforça a dobra do material). Normalmente é necessário, caso o papel tenha gramatura alta.

Outros tipos de acabamento a serem indicados: os picotes, furos, estampagem, relevo (americano ou a seco), cunho, laminação (fosco ou brilho) e qual tipo de encadernação (grampeamento, capa dura, wire-o e etc.).

O tipo de refile pode ser diferente também, caso as bordas sejam arredondadas, por exemplo.

6. Discrimine os dados de contato

O nome da sua empresa deve ser inserido no orçamento. Tanto no orçamento que você realizar com a Gráfica, quanto no orçamento que você repassar para o seu cliente. Assim como outros dados de contato, como o seu nome, e-mail, número de telefone e endereço (se achar necessário).

A gráfica e o seu cliente precisarão retornar o contato para você de alguma forma. E, algumas vezes, uma conversa por telefone pode ser esclarecedora para tirar dúvidas ou retificar algum eventual contratempo com a impressão ou produção dos materiais.

7. Envie o orçamento por e-mail

Uma forma de assegurar que tudo fique registrado é enviar o orçamento por meio de e-mail. Assim, diante de qualquer eventualidade, você poderá comprovar as informações que foram transmitidas e também recebidas pela gráfica e pelo seu cliente. Fazer isso pode ser fundamental, a fim de evitar erros de transação ou mal-entendidos.

8. Faça a leitura do seu orçamento gráfico com atenção

Leia todos os detalhes, para que nenhuma informação essencial escape. Algumas vezes, o conteúdo que parece muito claro para nós, pode não ser tão evidente para a gráfica. Se possível, peça para outra pessoa fazer a leitura.

Em alguns casos, quando o orçamento chega à gráfica, é necessário corrigi-lo, devido à falta de informações. Por isso, não hesite em adicionar detalhes ou pontos a serem evidenciados. Quanto mais clareza e instruções houver, menores serão as chances de problemas com o resultado.

9. Verifique sempre as formas de pagamento

O retorno também deve ser bastante claro. Todas as formas de pagamento devem ser especificadas: cartão de crédito, débito ou boleto, entre outros. E ainda informe-se se é possível, diante de uma grande quantidade de tiragem, fazer um parcelamento dos pagamentos (e também a entrega). O valor correto deve ser respeitado e acordado previamente, em caso de qualquer problema.

10. Especifique a validade do orçamento e o prazo de entrega

Trabalhar com prazos é fundamental. O atraso na entrega do orçamento e do material pode prejudicar você e seu cliente. O prazo de entrega para o material impresso especificado por você pode também ocasionar em mudanças no preço final do material.

Às vezes, é inviável que a entrega seja feita tão rapidamente, devido aos processos necessários da impressão. Em caso de livros e revistas e suas encadernações específicas, por exemplo, a gráfica normalmente trabalha com um período fixo de dias, necessário para que o todo processo saia com alta qualidade.

Em contrapartida, com os dados corretos e as informações bem especificadas, em alguns casos pode acontecer até mesmo de o material ficar pronto antes do termo final que é esperado.

Seguindo esse roteiro, seu orçamento gráfico trará o resultado perfeito. Seu cliente, com certeza, sairá satisfeito com sua contratação. E é exatamente isso o que todo profissional busca, certo?

Agora, que você já sabe como realizar um orçamento gráfico sem erros, é ainda mais interessante saber como evitar os principais erros de impressão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This