Briefing: o que significa e quais perguntas você deve considerar?

briefing

Se você trabalha com design, já se deparou com a típica situação em que o cliente pede para incluir um “detalhe final”, quando na prática precisou refazer o projeto todo? Ou ainda, você tem dificuldades para entender as exigências, estabelecer prazos e orçamentos para o seu trabalho? Confira as nossas dicas de como elaborar um briefing assertivo e completo.

Elaborar um briefing te ajudará a enfatizar quais são os problemas reais do cliente. Com as perguntas adequadas, é possível otimizar o tempo de pesquisa, direcionar seu projeto e evitar retrabalho.

Pensando nisso, preparamos este artigo para você conhecer um pouco mais sobre esse documento e conferir algumas dicas de como elaborar um briefing adequado as suas necessidades. Acompanhe!

O que é briefing?

O briefing é um documento cujo objetivo é compreender as atuais dificuldades que o cliente enfrenta e o que ele deseja alcançar com o serviço que você está prestando, em outras palavras, é um levantamento de informações sobre o projeto e o negócio do seu cliente. É importante para reunir dados relevantes sobre o cliente e auxiliar a equipe durante o desenvolvimento do job.

Com um briefing completo, o trabalho fica mais organizado, você fica mais inspirado e não sofre com a perda de foco e possíveis ruídos de comunicação que atrapalham o projeto.

Como elaborar um briefing?

Agora que você já sabe o que é um briefing e como ele é importante para a realização do seu trabalho, separamos alguns pontos fundamentais que devem ser considerados para elaborar esse documento:

1. Mergulhe de cabeça na empresa do seu cliente 

Antes de mais nada, é pertinente você conhecer a fundo a empresa do seu cliente. Para isso, faça um resumo sobre a missão, visão e valores e área de atuação do cliente. Solicite informações complementares como site, blog ou página de rede social.

Perguntas como: “Conte mais sobre sua empresa”, “Há quantos anos vocês estão no mercado?”, “Como tudo começou?”, “Vocês utilizam algum slogan?”, são fundamentais para que você conheça a essência do negócio do seu cliente.

Entenda também os antecedentes dos produtos e qual sua estratégia de posicionamento. Se você for criar um redesign de uma identidade visual, por exemplo, é extremamente importante compreender quais eram as ideias do projeto anterior e analisar junto ao cliente se as mesmas premissas deverão ser seguidas.

Para identificar as oportunidades, separe um bom tempo para falar sobre os concorrentes, pois destacar o diferencial competitivo vai garantir o sucesso do seu projeto.

2. Por que desenvolver este projeto?

Agora que você já conhece sobre a empresa, é extremamente importante que os motivos e as expectativas do cliente estejam muito claras para você. A criação será do zero? Trata-se de um redesign? Serão simples alterações ou pode-se considerar um novo layout? 

Essas e outras perguntas sobre quais são as premissas básicas do projeto, são indispensáveis para que você possa ter uma visão ampla do trabalho que terá pela frente.

Durante esta etapa, certifique-se se o cliente já possui uma ideia do que ele irá querer ou se ele deixará você livre para criar. Se ele já tiver uma ideia do que deseja, solicite links de referências, desta forma, além entender você conseguirá visualizar o estilo que, de fato, você deverá seguir.

Agora, se o seu cliente não tem ideia do que ele deseja, faça o inverso da dica anterior. Realize uma boa pesquisa sobre estilos e tendências e envie para o cliente referências do que você pretende seguir. Fazendo isso, você também evita de entregar um projeto que o cliente não goste.

Depois desta troca de referências e informações, você se sentirá muito mais seguro para iniciar um projeto assertivo e de sucesso e que atenda às expectativas do seu cliente.

3. Identifique o público-alvo

Para atingir o seu consumidor direto, você precisa discriminar o estilo de vida dos usuários do produto ou serviço, como faixa etária, gênero, ocupação e hábitos de consumo. Descubra preferências pessoais, como suas preocupações diárias, dúvidas e anseios.

É relevante também identificar quais são as qualidades percebidas desejáveis, como confiança, inovação, liderança e pertencimento. Identificar um apelo emocional permite o produto se conectar profundamente com os seus clientes, deixando uma imagem marcante e duradoura.

A partir disso, será mais fácil atribuir um estilo visual ao projeto, definindo elementos como cor, tipografia, textura e material.

4. Orçamentos

Aqui está um ponto que precisa estar muito claro e alinhado com a necessidade do cliente. Apesar de gerar ao cliente um certo desconforto, é  importante que você saiba qual é o valor que ele possui para investir no projeto. Sabendo quanto o cliente está disposto a pagar, você poderá realizar adaptações na realização do projeto.

Claro que, isso não significa que você irá desenvolver um trabalho incompleto ou sem qualidade. Contudo, você deverá analisar o trabalho exigido versus o que você pode entregar dentro de determinado orçamento. Por exemplo, se o projeto for a criação de uma identidade visual, você pode optar por fazer um manual de identidade mais básico ao invés de investir em um manual completo.

Saber o investimento disponível para o projeto, também ajudará você a entender a real concepção de valor que o seu cliente possui. Por exemplo, se o projeto é a criação de um logotipo e o cliente tem disponível R$150,00, ou você deverá investir tempo explicando todo o trabalho necessário para realização de um projeto de design, ou optar por não pegar o projeto.

São raros os clientes que tem a ciência que um bom projeto de design é muito mais do que criar um loguinho bonitinho, e que ao contrário disto, exige muito estudo e dedicação.

5. Prazo de entrega

Geralmente os clientes precisam dos projetos para ontem. Seja por necessidade em eventos e feiras, ou para reuniões e viagens à negócio. Ter em mente para quando o seu cliente precisa do projeto é essencial para garantir que você conseguirá cumprir este prazo.

Seja claro com o seu cliente. Mostre quanto tempo você precisa para desenvolver o job. Caso não seja possível cumprir o prazo que ele precisa, tente adaptar alguma solução alternativa que atenda a necessidade dele. Desta forma, você conseguirá atender o cliente, ele saberá que pode contar com os seus serviços e a sua disposição em atendê-lo, e terá você como referência para jobs futuros.

Crie seu próprio formulário de briefing

Conforme a experiência que você for adquirindo, você conseguirá montar o seu próprio formulário de briefing, de maneira prática e assertiva, e com todas as perguntas que você considera pertinentes à realização de um projeto.

Um ferramenta prática e acessível para criar o seu formulário de briefing online é com o Google Forms. Depois de criado, você poderá compartilhar o link do seu formulário, de maneira rápida e eficiente com o seu cliente.

O processo de criação de briefing será sempre um trabalho colaborativo entre você e o seu cliente. Sinta-se livre para construir conforme sua necessidade, e fique atento às informações que serão necessárias para definir prazos e orçamentos.

Formulário de Briefing gratuito

Para facilitar o seu dia a dia, disponibilizamos um modelo de Briefing para projetos de design, com as principais perguntas que você deve considerar. Fique a vontade para modelar as perguntas de acordo com o seu projeto.

Agora que você aprendeu um pouco sobre briefing, que tal continuar recebendo orientações como essa? Assine nossa newsletter e receba em primeira mão conteúdos que vão te ajudar a crescer profissionalmente.

Você pode gostar...

4 Resultados

  1. sensacional muito bom

  2. Raquel Magalhães disse:

    Tentei baixar e está dando erro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This